sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Só pra mim

A maneira de tocar com tanto sentimento — um sentimento real —, como se sentisse cada nota e não tivesse nenhuma vergonha delas. Como se tocasse sua própria verdade, independente do fato de que ninguém lhe oferecia a sua. Como não se importasse com as outras pessoas que estavam ouvindo, até porque ninguém ouvia. Não realmente.

Como se tocasse para ninguém.

Ou só para mim.

"Yes, to dance beneath the diamond sky with one hand waving free 
Silhouetted by the sea, circled by the circus sands 
With all memory and fate driven deep beneath the waves 
Let me forget about today until tomorrow 

Hey, Mr. Tambourine man, play a song for me 
I'm not sleepy and there is no place I'm going to"

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

5 Dicas para criar o Hábito de Leitura


"Queria ler mais, mas não tenho tempo".

Quantas vezes a gente se vê fazendo esse comentário? A vida corrida, trabalho, compromissos, estudos... Tudo isso acaba drenando o nosso tempo e a nossa energia diária. Mas, quando vamos ver, estamos em dia com todas as séries, sabemos todas as novidades do Facebook, zeramos todos os stories do Instagram e estamos discutindo política em grupo de família no Whatsapp.

Se por inércia, cansaço ou preguiça mesmo, o fato é que perdemos muito tempo com distrações diversas e redes sociais. E acabamos deixando de lado os livros, que além de ser um hobby divertido é também um hábito saudável, que estimula a imaginação, a memória e o vocabulário. E, para quem além de leitor é escritor, também inspira e enriquece a técnica de escrita.

Motivos não faltam para se começar a ler. O que falta, às vezes, é só um pouco de organização. Como tudo na vida, precisamos encaixar na agenda nossas atividades importantes, para que elas não se percam na correria do dia-a-dia. E a leitura é uma dessas atividades.

Mas como organizar isso na vida?

Se você também quer tornar a leitura um hábito, eu vou dizer uma coisa: não tem mistério. Abaixo eu dou 5 dicas que funcionam para mim.


1. Faça uma lista dos livros que você deseja ler

Antes de tudo, para começar a ler, você deve escolher um livro. Isso é claro. Pesquise o estilo que lhe agrada mais, o que parece mais com você. Com essa informação, você pode conseguir indicações com amigos e também existem vários blogs e vlogs com dicas de leitura. Pessoalmente, eu recomendo muito o Tiny Little Things.

Então, faça uma lista dos seus livros na ordem que você pretende ler.

E quando acabar um, faça as anotações que quiser sobre ele e passe logo para o próximo, para não perder o embalo. É importante não cair no vazio que o livro deixa quando acaba - quando você fica "órfão" do livro -, porque é difícil sair dele. Mesmo quando o livro é mais denso e você precise de um tempo para digerir, tire algumas horas para arejar a cabeça, mas já deixe o próximo da fila à mão.

Você também pode fazer um Desafio Literário. Existem vários tipos de desafio e o objetivo é auxiliar nas nossas leituras e dividir impressões com outras pessoas. Há duas semanas, eu abri o Desafio Literário de 2018. Não deixe de conferir.


2. Varie entre livros densos e mais leves
Se você está começando agora, é importante que esse livro seja interessante para você. Não adianta pegar um livro pesadão neste momento, porque você vai largar na primeira oportunidade e vai passar todas as atividades possíveis na frente dele. E toda a sua organização já era.

Depois, vá aumentando a complexidade e densidade. E vá alternando.

Se você acabou de ler Irmãos Karamazov (Dostoiévski), pegue depois um Cor da Magia (Terry Pratchett), um romance erótico ou algum estilo que você prefira.

Você já deve ter ouvido por aí que é importante ler os clássicos. É verdade! Livros densos e cabeçudos fazem você crescer como leitor.  Mas isso não quer dizer que você tenha que ler só esse tipo de livro. Variar estilos faz com que o hábito de leitura fique mais leve e não se torne uma obrigação.

E manter-se sempre aberto às novidades nos torna leitores menos preconceituosos. E tem muita coisa boa entre as novidades. Muito escritor talentoso por aí, se a gente for procurar.


3. Escolha um horário do seu dia 

Para uma atividade se tornar um hábito, é necessário inseri-lo na sua rotina. Para isso, você precisa definir um horário no qual você vai simplesmente sentar a bunda na cadeira e ler. Pode ser na hora do café da manhã; durante a ida para escola/faculdade/trabalho, caso você não vá dirigindo; no intervalo do almoço ou à noite, antes de dormir.

Definir um horário vai acostumar a sua mente e associar aquele horário à leitura.

Pessoalmente, eu sempre leio antes de dormir. Não sei se é o melhor horário, porque se a história acabar empolgando, o perigo de passar direto é grande. Quantas vezes não vi o sol nascer assim? 😅


4. Crie um espaço para leitura
Comprando meu Apê
A despeito de você pretender ler em casa ou não, você deve arrumar um canto tranquilo e sem distrações. Digo isso porque a coisa mais fácil é você estar super disposto a pegar seu livro e, então, chega uma mensagem no Whatsapp. Aí, para aproveitar, você também dá uma olhada nos outros grupos. Aí abre o Instagram...

Quando não evitamos os estímulos externos, o perigo de nos distrairmos é grande. É importante ter força de vontade para não se deixar levar e, se possível, ficar longe do computador e colocar o celular no silencioso.

E, caso você goste de ler no tablet, silenciar as notificações.


5. Trace uma meta diária

Uma técnica que a maioria dos grandes leitores utilizam é contar as páginas que se lê. Dessa forma, você pode registrar quanto está lendo lido e quanto se pretende ler.

Essa técnica é melhor que contar livros. Porque é bem fácil ler dois livros por semana se cada um tem 100 páginas. Mas se você, como eu, incluir Os Miseráveis (Victor Hugo, 1512 páginas) no meio da sua fila de leitura, vai ter alguma dificuldade de acabar em três dias. A menos que você esteja de férias e só faça isso da vida.

Então, você pode começar com uma meta de 10 páginas por dia. Se você passar dela, ótimo, ganha  crédito pro próximo dia. No final da semana, você terá lido 70 páginas. Se você conseguir ler mais que isso, pode dobrar a quantidade e ler 20 páginas por dia. No final da semana, terá lido 140 páginas. E por aí vai. Por mais difícil que seja o livro, quando você for perceber, vai estar marcado como lido no Skoob.

Alguns dias, você vai conseguir ler mais. O importante de traçar uma meta é não ler menos que ela.

Este ano, ensaiei algumas metas de leitura e escrita para voltar à velha forma. As tarefas diárias são bem fáceis e não devem dar muito trabalho para completar. Ano passado tracei metas mais ousadas e não consegui cumprir nenhuma. Não queria cometer esse erro de novo.

Portanto, trace a sua meta e leia. Você com certeza estará ganhando mais que quando perde tempo nas redes sociais ou discutindo no Facebook.

--
E aí? Gostou das dicas? Quais você vai adotar na sua rotina?
Não esqueça de curtir o post e deixar seu comentário.


https://www.facebook.com/groups/blogsup/

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Desafio Literário 2018

Como em todo ano, logo no início de janeiro eu costumo apresentar o Desafio Literário que eu pretendo seguir durante o ano. Ano passado, eu propus o Desafio Literário abaixo, mas aconteceu tanta coisa que não consegui seguir nada. Então, este ano me propus a cumprir o mesmo desafio.

Seguem os temas:


1- Contos
Histórias curtas podem ser o primeiro passo para se conhecer um autor. Leia um livro de contos de qualquer autor que você deseje.


2- Assunto polêmico
Drogas, religião, política. Leia um livro sobre algum assunto polêmico.


3- Escrito há mais de 100 anos
Tire a poeira do armário. Um livro antigo pode ser uma excelente leitura.


4- Escolhido pela capa
E aquele livro que você acabou comprando porque gostou da capa? Chegou a hora de começar a ler.


5- Fantástico!
Realismo fantástico, dark fantasy, fantasia urbana, fantasia épica. Leia um livro que desafie a realidade.


6- Com uma cor no título
Vamos colorir o mês lendo um livro que tenha uma cor em seu título. Pode ser em qualquer idioma.


7- De autor brasileiro
Para provar que também temos excelentes autores no Brasil, chegou a hora de ler um livro nacional.


8- Escrito por uma Mulher
Virgínia Woolf, Jojo Moyers, Clarice Lispector, J. K. Rowling. Girl power. Vale qualquer estilo, o importante agora é que a autora do livro seja uma mulher.


9- Adaptado para o cinema
O que é melhor, o livro ou o filme? A gente só vai saber quando ler. Leia um livro que virou filme.


10- Clássico
É sempre bom ler os clássicos. Chegou a hora de conferir por que aquele livro virou referência literária.


11- De um autor iniciante
Também temos que dar uma chance a quem está começando. Tem muito autor bom chegando por aí.


12- Distopia
Um futuro imaginário, um passado ou presente em que os personagens vivam em situações de opressão ou privação. Leia um livro que se passe em um cenário distópico.

O Desafio Literário é um método para você se desafiar a ler mais e melhor através dos temas propostos para cada mês. Você não precisa ler necessariamente na ordem; o objetivo é ler pelo menos doze livros por ano, um livro por tema, um livro por mês. E não valem releituras.

Para participar, basta você fazer sua publicação uma vez por mês (se houver atraso em algum mês, pode postar duas no seguinte) usando a hashtag #DLdofundodomar. Pode ser no Instagram, no Facebook, no seu Blog ou em qualquer rede que você quiser.

Não existem perdedores no Desafio Literário. A intenção é apenas ler mais.

E que comecem os jogos.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

2018

Olá, queridos leitores e amigos!

coração da minha janela
 
Mais um ano se inicia e, com ele, mais um ciclo se encerra. Vamos torcer para que este ciclo que se encerra seja o grande vácuo que este blog se tornou 😰.

Faz algum tempo que tenho ficado longe do blog, longe da escrita em si, sem conseguir parar para organizar as coisas por aqui, dar uma atenção especial, pensar criativamente e escrever. É sempre muito trabalho, muita coisa para organizar na vida real, as contas para pagar. A gente termina deixando de lado o que, mesmo que seja importante e a gente ama, não é tão necessário assim. Infelizmente o blog é uma dessas coisas que ficou escanteada.

De toda maneira, como sempre, começo de ano e tal... Podemos sempre recomeçar 😊. E as coisas por aqui vão mudar um pouco.

Os posts agora serão semanais, sempre às sextas-feiras a partir das 18h. E em cada semana do mês, teremos um tema diferente: teremos os habituais textos autorais (contos, crônicas e pensamentos), resenhas, algumas blogagens coletivas, novidades e dicas de leitura ou de escrita. E às vezes uma conversa mesmo, como esta que estamos tendo agora. Mas a grande novidade é que teremos escritores convidados aparecendo por aqui de vez em quando.

E, é claro, temos também o nosso Desafio Literário 2018.

O Desafio Literário é uma maneira de ler mais e de ler livros de gêneros diferentes do que estamos habituados. De pesquisar coisas novas e se permitir conhecer um novo autor. Ou até mesmo ler as mesmas coisas, mas que se encaixe nos temas sugeridos pelo desafio.

E é isso. Minha proposta é que este ano seja melhor que o passado, tanto na parte de leitura quanto na parte de escrita. Inclusive, estou escrevendo meu novo livro, que era para sair ano passado, mas acabei deixando pra lá também 😬. Meu primeiro livro foi concluído em 2016, vamos ver se o segundo sai agora em 2018.

E que se inicie o ano. Feliz 2018 para vocês!

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Qualquer coisa


Necessidade. Como aquela de ir ao banheiro, depois de uns copos de cerveja. A urgência que nos faz usar mesmo aquele banheiro químico dos carnavais de rua. Sinto-a em todos os segundos que passo sem escrever. Já fazem longos segundos. Longos dias. Longos meses.

Todo artista tem uma necessidade quase primitiva de criar. O escritor não é diferente. Mas criar nunca é fácil. Exige tempo, exercício, constância. As ideias não faltam, a inspiração não some, mas se perde a noção para reconhecê-las, alcançá-las e transformá-las em algo. Isso se adquire com prática. Como qualquer exercício.

Este é um exercício. O início de um, com pouco peso e quase nenhuma intensidade. Um ato de escrever qualquer coisa, pegar o papel e sair discorrendo. Metalinguagem ajuda. Escrever essas linhas já ajuda. É um começo. Tudo precisa de um ponto de partida.

Começar. Prosseguir. Nunca parar.

Porque preciso escrever. Qualquer coisa serve.


Imagem: GettyImages