segunda-feira, 24 de maio de 2010

Por medo


Tinha medo de não ser aquilo que ele esperava

Terminou não sendo nada

Por medo.


"I am not afraid to try it on my own"

13 comentários:

Heloisa disse...

Poucas palavras e uma enorme emoção em um único texto. É incrível como esses curtas nos fazem pensar mais em histórias do que as próprias histórias contadas inteiramente.

Adorei, etê!

beijoo =*

Magna Santos disse...

Pois é, Marina, o velho medo que paralisa. Medo que faz uma página em branco continuar em branco, por medo dos "s", dos "nãos"...da palavra "fracasso". E é bem ela que se escreve, quando não se vive: um fracasso sem tentativa - o pior de todos.
Beijos.
Magna

George Marques disse...

É por isso que eu sempre tive medo de ter medo.

Jéssica A. disse...

Penso no quanto eu perderia pelo medo de tentar, de me arriscar, de fazer algo acontecer. Claro que penso. Penso até a cabeça doer, antes de agir. O medo bate né, porque sou uma medrosa em potencial, mas who cares?

Não posso dizer que não me arrependo, só me arrependo menos por não ter ficado parada esperando 'mudar de fase'.

Beijos!

E obrigada! Tomara que a assinatura do feed valha. haha :)

Jéssica A. disse...

Sorry!

*só me arrependo menos. Antes isso do que ter ficado parada esperando 'mudar de fase'.

;*

tati_nanda disse...

eu não gosto de medos...eles atraem coisas ruins..
por isso qdo tenho, tento ignorar...nem sempre dá certo
:P

µαri disse...

É... e vivemos sempre nessa eterna escolha entre enfrentar os medos ou nos deixar dominar por eles.

=***

Alisson da Hora disse...

Lindos versos...linda sensação que eles passam...

tati_nanda disse...

respondendo teu comentário...acho que extiria esse lugar sim, mas não de início...
quem sabe depois quando outras pessoas suas também fossem...
mas enquanto isso não acontecesse, vc poderia ir aproveitando outras coisas lá... sei lá...
não sei se existe, nem como é...espero que exista :)
:*

Rebeca Amaral disse...

mais um vez o medo nos impedindo de viver.
não deixe mais o medo vencer.
busque a coragem, dessa vez.
tem pessoas que passam e não voltam mais...

beijos!

Eduardo Trindade disse...

Toca-me muito isso, sabe? Esse medo que tolhe a gente é algo em que eu penso muito. Não por acaso, já escrevi sobre isso algumas vezes... E em pelo menos um dos textos do meu livro eu me proponho a ousar, assim:
"Basta de conforto,
eu prefiro a corda-bamba."
Abraços, amiga!

Ygo disse...

Já cometi esse erro umas trossentas vezes.

Ygo disse...

=/