terça-feira, 22 de junho de 2010

Mentiras

Era mentira, eu bem sabia. Quanto mais ele falava, mais eu tinha certeza. Começou com uma história frouxa sobre problemas no carro, depois seguiu com uma lembrança vaga de ter se esquecido de abastecer. Arrematou com a desculpa da chuva. Sempre a chuva. Coitada da chuva.

Eu olhava aqueles olhos, que não mais sequer desviavam dos meus ao inventar acontecimentos, e cogitava há quanto tempo vinham tentando me enganar. Nunca conseguiram. Conhecia-os desde sempre; reconhecia-os no menino travesso da minha infância, que mentia pra mãe, pro pai, pra avó, pra professora. Naquela época, já ensaiava as histórias que diria, encontrava provas para incrementar, testemunhas para comprovar. Naquele tempo, eu era cúmplice das histórias, ria com elas, ajudava a criar. Éramos amigos. Acabei gostando dele assim. Desse jeito, mentiroso, impossível. Não sabia que passaria de companheira de aventuras a pessoa feita de idiota.

E eu fui idiota, desde o começo. Jamais o imaginei diferente, apenas não pensei nas consequências. Quanto à mentira, não foi a primeira e não seria a última. E sempre que, ao fim de tudo, ele dizia "te amo", eu pensava "não ama". Mas sorria. Quem o podia culpar?


"E tu és a mentira mais gostosa
De todas as mentiras que tu dizes"

Imagem: stock.xchng

11 comentários:

Katia Bonfadini disse...

Oi, Marina!!!! Obrigada pelo recadinho lá no blog! Você pode tentar acessar o site agora, eu imagino que ele estivesse em reformulação. A dona da loja, Beril, mandou um e-mail para algumas das pessoas que entraram em contato pelo site com preços dos gaveteiros e valores do SEDEX pra quem mora fora do Rio. Tentei entrar agora e está fora do ar de novo... não sei o que está acontecendo, mas tente mais tarde, acho que você vai conseguir! Um grande beijo!

Luciano A.Santos disse...

Marina,

É terrível como existem pessoas do tipo da frase "O que você não me pede sorrindo que eu não faço chorando?". Até que eu entendo a personagem...

Belo texto, abraços.

Andréia Alves Pires disse...

"Não ama". Gostei muito. :D

RVivas. disse...

mentiras são fatais. geralmente a vítima é o próprio amor. e o amor próprio também.

gostei muito de ler o seu texto. obrigada pelas visitas!

Priscila Lima disse...

acho que são as meias verdades que guardamos pra nós mesmos!

Leonardo Xavier disse...

Algumas vezes as mentiras parecem ser bem mais confortáveis do que a verdade... então simplesmente se opta por acreditar nelas.

Jullia A. disse...

Seu texto 'e sobre as coisas que todo mundo sabe e ninguem tem culhao pra falar. muito bom, como sempre.

O Matuto disse...

bem....
depende de como vemos as coisas...eu levei o texto no bom humor e cheguei a conclusão que um cara chamdo Agenor já tinha chegado nos anos 80:

"o teu amor é uma mentira que a minha vaidade quer..."
abs!!

µαri disse...

Eu li antes e nem comentei ¬¬

A ilusão que se cria sobre uma pessoa é deliciosa... pena que n é suficiente.


E não esqueçamos quando nós mesmos alimentamos a ilusão que outros têm sobre nós.

Fábio Plumari disse...

Eu não creio q uma pessoa seja idiota por acreditar em mentiras. Confiar nos outros é uma dádiva, claro que ver nossas expectativas quebradas machuca, mas ainda assim quem perde na história sempre é o mentiroso. Pode parecer que não, o momento machuca, mas quem mente nunca confia em ninguém... Tem castigo maior que este?

Suas palavras são demais!!!
=)

Gaby disse...

Parece até que previa o futuro

"E eu fui idiota, desde o começo. Jamais o imaginei diferente, apenas não pensei nas consequências." acontece muito, né? A gente pensa que aceita mas não pensa no custo.