segunda-feira, 30 de agosto de 2010

De pressa

É engraçado espiar nossa própria vida naqueles raros momentos em que nos damos conta de que não temos pensado muito nela ultimamente. Pensar na vida dá preguiça; implica descobrir coisas erradas e que precisam ser mudadas. E mudar dá trabalho, gasta um tempo que nem sempre possuímos. Ou um tempo que está sendo economizado pelo próprio problema. Hoje, percebi que ando vítima da pressa.

Mas não é um problema só meu e, talvez por isso mesmo, seja um problema meu também. Quero dizer, você acaba ficando vulnerável ao meio que frequenta. É como quando você está caminhando, andando na sua marcha normal, então olha em volta e vê todo mundo correndo. Você termina acelerando um pouco, sem perceber e, quando percebe, está desembestado na correria também. Se estiver de carro, se vê buzinando pro veículo à frente poucos milésimos de segundo depois do sinal ficar verde. Se estiver andando na calçada ou no shopping, se encontra impaciente atrás de uma velhinha ou de um casal de namorados que se arrasta pra chegar ao cinema.

É meio cansativo estar sempre correndo. Não falo nem só de correr de verdade; mas da ideia de se pensar em estar sempre perdendo tempo por fazer algo aparentemente inútil: relendo um livro divertido, lendo gibi, jogando videogame ou bebendo e conversando besteira com amigos. Enquanto se poderia estar lendo algo que vá render trocas de ideias interessantes, nos mesmos encontros com amigos, ou estudando, ou trabalhando. Convenhamos, é muito cansativo.

O pior é que, nesse caso, perceber o problema não vai necessariamente me fazer tomar alguma atitude. Pressa é uma mania e, como toda, precisa de um bom motivo para se lutar contra. Mesmo porque ela é quase útil, nesse mundo em que as notícias chegam a nós quase antes do acontecimento em si. Mas seria bom um pouco de paz e diversão, para variar. Preciso desacelerar.

"Pra que tanta pressa de chegar, se eu sei o jeito e o lugar?"

Imagem: fotolia

16 comentários:

tati_nanda disse...

costumo dizer: " a minha vida é tão confusa quanto a América Central, por isso não me acuse de ser irracional" -> engenheiros do hawaii....
boa semanaaa..
fica na paz com esse blog lindo!
beijos

http://zonzobulando.blogspot.com/

Alexandre Olsemann disse...

Tomo emprestadas as palavras de alguns punks pelos quais passo todos os dias ao final da tarde: "É isso o que o sistema quer da gente: que trabalhemos sempre mais, o mais rápido possível, com uma hora de trabalho cada vez mais baixa e com tempo de reflexão inexistente" (Punks, s/d).

Rebeca Amaral disse...

e esse tempo maldito, compra a preço de liquidação as melhores coisas da vida.
e nós ficamos assim, que nem baratas tontas, 'sem tempo' nem pra chupar o dedo.

vamos culpar o capitalismo, dessa vez.
humanos, coitados.

beijos, flor.

Luciano A.Santos disse...

O problema é justamente esse: temos que seguir o fluxo na velocidade dos outros, ou ficamos para trás. É difícil, às vezes até asfixiante.

Isadora disse...

a gente pensa tanto naquilo que deveria esquecer, e passa tão rápido pelas coisas que deveríamos lembrar, né?

Eduardo Trindade disse...

Uma crônica primorosa, guria. Já tive momentos assim, de pensar na vida em meio à correria, apesar de que (concordo contigo) "pensar na vida dá preguiça". Pois desaceleremos, mas não desanimemos!
PS: Minha irmã e meus sobrinhos estão "dando uma banda" aí pelas tuas bandas, a esta hora devem estar em Porto de Galinhas.
Abraços!

Peterson Quadros disse...

"O tempo todo, passa" Arnaldo Antunes disse algo assim... É chato mesmo cair nessa loucura que é a vida apressada... Precisamos romper com o paradigma do "tempo é dinheiro"...

Leila disse...

Esse post me remeteu ao filme "O curioso caso de Benjamin Button". No começo do filme, um pai que perde o filho na guerra choca a sociedade quando resolve construir um relógio que anda pra trás. Mexeu muito comigo. O 'desacelerar' implica tudo isso.. e mais um pouco.

Beijos

Rafael disse...

É, a parada é ir b e m d e v a g a r
bjs

Magna Santos disse...

Mal de todos nós, Marina, mal de todos nós. Alguém um dia me disse: "somos igual aquele cachorro que corre atrás do carro em movimento. Quando o carro finalmente pára, ele fica sem saber porque estava latindo, sem saber o que fazer".
Sabe que ele tinha razão.
Au au pra você.
Beijos.
Magna

Doce Nostalgia disse...

Rs é no mundo hoje em dia tudo é feito para ser rápido, comida, lazer, etc...

Gostei Marina, concordo, devagar tudo é bem melhor! rs

Beijos linda!

Renata Santos disse...

Eu tb preciso desacelerar... tô tão apressada que outra hora comento... bjs
;-)

Ygo disse...

Estou correndo, Dra. Mary, muito; como vc sabe.

Maaas, espero dentro em breve começar a caminhar com passos curtos para não perder a paisagem e em algumas vezes até dar uma pausa para beber uma água de coco e repor as energias.

Vc se compromete a caminhar comigo parte de minha jornada? xD

Clecia disse...

Oi, Marina! Que post perfeito! Também vivo me questionando sobre essa correria que é a nossa vida! Precisamos mesmo desacelerar. Bjos e obrigada pela visita lá no Mar Azul.

Dalleck disse...

Ótimo texto, Marynn :D

Realmente, a pressa é ruim mas necessária. Queremos sempre fazer tudo ao mesmo tempo, porque é muita coisa acontecendo e não dá tempo de aproveitar tudo. Mas relaxar é sempre bom, também é "viver" e experimentar novas experiências, por mais tranquila e descompromissada que seja.

Aline Veingartner disse...

A paciência é a maior das virtudes, não é? Quando a gente faz algo com calma e esquece a pressa, fica orgulhoso de ter feito algo BEM feito, ao invés de fazer muitas coisas de qualquer jeito.