quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Insensível

Longe de sentir o amor que tentei sugerir todo o tempo, senti apenas tédio. Olhei teu rosto, vi tuas lágrimas e não senti nada. Não menti, admiti a verdade: não te amo mais. Não te amava mais há muito tempo. Não pude esconder nada, naquele momento. Acuse-me de tudo, menos de ser insincera. Pudeste ler tudo em meu rosto e, ao perceberes minha expressão indiferente, terminaste indo-te embora. E eu, que não te amo, permaneci ali.
De longe, te vi lamber as feridas e tentar superar a dor. Aquela que tu sentiste e foi ínfima demais para me alcançar. A que surge quando o amor acaba, pondo fim a promessas e expectativas, planos e "felizes para sempre". A causadora da lágrima que cutucou o meu ombro, disse "adeus" e caiu aos meus pés.
Naquela despedida, eu estava distante. Sabia que me amavas e eu te feria. E de onde estava, só queria que tudo acabasse logo e me deixasse só, com meus pensamentos. Não tardou, tive meu desejo satisfeito: fiquei completamente sozinha, eu e meu coração de pedra.
E eu, que não mais te amava, chorei.


"And in her eyes, you see nothing
No sign of love behind the tears cried for no one"*

*Música: For no one

15 comentários:

Nathálya Calina disse...

É foda... Acontece!

Heloisa disse...

Obrigada por escrever a minha história... rs

=~

Frederico Toscano disse...

Antes acompanhado de um coração de pedra que é seu e você conhece do que a alternativa.

;)

http://oblogdareclamacao.blogspot.com/

Rebeca Amaral disse...

Mais doído do que não receber amor é não poder dar amor. É.

Bruno disse...

Lembrei de um citação que gosto bastante, do Tagore:

"Quando eu estiver contigo no fim do dia poderás ver minhas cicatrizes e então saberás que eu me feri e também me curei."

Lindo post.

Manuh *.* disse...

Disseram que os prédios perto do jockey tremeram? skaoskasoksa
pena que vc não viu de perto? mt lindo né? :)

Au disse...

Já estive em posição semelhantes a sua, é difícil de acreditar que conseguimos ficar imunes ao sofrimento de alguém que antes, daríamos um pedaço de nós para não sofrer, não derramar nenhuma lágrima...
Muito bonito, muitíssimo sincero e bem escrito!

Parabéns, de verdade!


Beijo!

Eduardo Trindade disse...

Nossa... Em dias de contagem regressiva para a vinda de Paul McCartney, queres me deixar ainda mais ansioso com esta referência, né?
Abraços!

tony disse...

e antes assim do que com fugas multiplas. Faz bem ser sincero com os outros se também somos conosco.

muito muito bom texto.

ótimo findes!

Doce Nostalgia disse...

Que triste ... mas acontece!
Muito ... rs

Mas amei a sutileza!

Beijo linda!

disse...

Meu, MUITO obrigada pela sua história! Peço inclusive autorização pra usá-la...mesmo achando que não poderei usa-la como gostaria. Enquanto lia, parecia que olhava num espelho. No final, então, nossa, até me arrepiei aqui!

disse...

Haha. Oi Ma! Quando eu sinto alguma coisa, gosto de gritar isso, gritar mesmo, espalhar, dizer, mostrar, principalmente quando se trata de alguma coisa que me faz mal de certa maneira. Seu texto, por incrível que pareça, parece um grito meu agora. Não dá pra usar como gostaria, mas "usa-lo-ei" de alguma forma, hahaha. Com os créditos, claro!

Manuh *.* disse...

vou, mas não é pra black eyed não :)amei o textinho
xoxo

Marcos de Sousa disse...

É muito triste quando um amor chega ao fim.



Seguindo... Quando puder, me faça uma visita: http://omundosobomeuolhar.blogspot.com

Dona Cor disse...

me identifiquei em cada palavra..mto bonito =)