terça-feira, 7 de dezembro de 2010

For life

Este é um texto sobre amizade. Um dos raros textos pessoais e, por isso mesmo, difícil de escrever.

Foi num dia qualquer — numa noite, mais precisamente — que um amigo chegou à minha casa e me apresentou uma pessoa. Ela sentou-se à minha frente e começamos uma conversa meio sem assunto, mas que fluía com facilidade. Depois ela foi embora e a amizade ficou em suspenso. Não vingou. Ninguém insistiu.

Anos se passaram; anos de desencontros e reencontros, sem muito interesse de nenhuma das partes. Possivelmente por culpa de primeiras impressões, mal entendidos e observações de outros. Mas a vida nunca é muito racional: depois de um tempo, e de uma turma construída e desfeita num instante, em que sobraram apenas retalhos de carinho e admiração por todos os lados, amizades foram findadas, outras mantidas e outras conquistadas. Como moedas de valores diversos jogadas ao alto, que a gente corre e apanha o que der. Eu não tive dúvidas.

Escolhi o riso fácil, a mente aberta, o coração enorme, a ausência de frescura e papas na língua, a conversa fácil, a confiança total, o senso de humor refinado, o papelzinho de enrolar prego. Escolhi o que eu admirava. Somando a força em tempos difíceis e a presença incondicional em todos os momentos, bons ou ruins, importantes ou só para fazer nada junto. O sorriso em troca do mau humor. Os dezesseis sachês de ketchup de presente de aniversário.

Não sei como fiquei tanto tempo sem essa presença. Hoje, eu xingo os mal entendidos, mas sei que o tempo estava apenas nos preparando para essa amizade num momento em que pudéssemos compreendê-la. Não faz muito tempo, eu compreendi. E foi este ano que a amizade tornou-se o que é. Algo que jamais poderia ser posto em palavras, embora eu tenha tentado.

Este é um texto sobre amizade. E este é para você, Mari. Amiga e companheira de sonhos, viagens, perdas, sorrisos. E cerveja, claro.


"Friends for life, not just a summer or a spring"


#MemeDasAntigas: Dia 07/12 – Meu parceiro/a de 2010

3 comentários:

Otavio Oliveira disse...

me lembrou o meu próprio texto, pelo tema :D

bem bonito, marina, parabens.

µαri disse...

=} Como uma amizade não vinga de início e depois vira isso, né?!

E a loucura dos dias que passam e a vida irreal sem ter isso hj?!

Eu espero continuar bebendo cerveja contigo numa varanda qualquer; a qualquer momento do dia/semana; nas ocasiões especiais ou surpéfluas.

Sem ser clichê.
Só por existir.

Amizade.

Leila disse...

lindas palavras!!! mais linda ainda é a amizade... parabéns!!!