quinta-feira, 21 de abril de 2011

Sem brilho

E nos seus olhos, o vazio. Era viva, porém morta. Viva, pois andava, ria, falava, dormia. Morta, pois tinha perdido todo o brilho de antes. Ria, sim, ria. Mas o sorriso não alcançava os olhos. Ria, mas era apenas um amontoado de músculos contraídos, que virariam rugas. Os olhos não tinham rugas. Não sorriam.

Era seu brilho que costumava aproximar as pessoas. Havia sempre pessoas em volta, como mariposas encantadas com a luz. Mas como toda luz, precisava de energia e esta foi se rarefazendo, se extinguindo, até não restar nada. Nem faísca para acender uma vela. E as mariposas foram sumindo, à procura de calor.

E nela, sem brilho, restou só o vazio. Desistiu.

"Once upon a time, there was light in my life
(Turn around, bright eyes)
"*

8 comentários:

µαri µαtos disse...

Mariposas voam e vem outras.. e vem até uns vagalumes pra ajudar na iluminação.

Natalia Máximo disse...

Eu acredito em ressurreição.

Luciano A.Santos disse...

Nossa, como eu conheço pessoas assim...algumas até reaprendem a sorrir.

Larissa Bohnenberger disse...

Quem sabe um dia ela reencontra o brilho perdido e preenche novamente o vazio que ficou?

Bjs!

Wi disse...

Logo ela descobre que a gente desiste, mas em algum momento as forças voltam e tudo recomeça.

Leila disse...

''E nela, sem brilho, restou só o vazio. Desistiu.'' Talvez, desistir seja o mais bravo dos passos. E com a desistência pode-se renovar, recomeçar, voltar aos poucos a sorrir. Lindas palavras, parabéns! beijos!!

Liberdade. disse...

Olá!

passando pela primeira vez em seu blog,e não posso dizer nada mais do que magnifico!
Um abração!

Luciana Vannucchi de Farias disse...

Tadinha.... :-(((

Beijocas!