sexta-feira, 29 de abril de 2011

Teorias

A teoria é a seguinte: se você não tem medo de rã, uma rã nunca grudará na sua coxa ou nas suas panturrilhas; Se você não tem medo de lagartixa, uma nunca passará por cima do seu pé; Se você não tem medo de barata, uma nunca subirá pela sua perna, entrará na sua roupa ou passeará em cima de você quando você estiver dormindo. Eu tenho medo de barata. Sim, uma já subiu pela minha perna. Sim, uma já sapateou em cima de mim enquanto eu dormia. E tantos eventos felizes mais.

Esses episódios aconteceram na época em que eu morava em uma casa e, além do fato de ser menos seguro que um apartamento, este é um dos principais motivos pelos quais eu não tenho a mínima vontade de voltar a morar em uma casa, com jardim, quintal, árvores e insetos.

O primeiro episódio foi quando eu saía do banho. O banheiro era famoso por servir de morada para uma família particularmente numerosa de baratas, mas eu pensei que a cosquinha na perna era um fio solto da toalha. Só que ele estava subindo, subindo...

O segundo episódio foi numa época em que o mosquito da dengue estava bombando e minha mãe terminou colocando cortinado (mosquiteiro, como dizem alguns) em todas as camas da casa. Eu me sentia muito segura usando aquela cápsula contra insetos, até o dia em que, de alguma maneira, uma barata conseguiu entrar. Acordei no meio da madrugada me coçando. Quando acendi a luz, ela estava lá, bela e cascuda, passeando pelos buraquinhos, do lado de dentro do cortinado. Saí da cama muda, rápida e o mais discretamente possível para não assustar a nojenta e ela não pular de novo em cima de mim, e fui acordar meu irmão. Exigi a morte dela. Se fosse uma lagartixa ou uma rã, eu ia pedir somente pra ele jogar no quintal. Mas barata tem que ser esmagada (descarregar o tubo de Raid em cima dela não funciona, ela fica com as patinhas asquerosas pro ar se mexendo) para eu poder voltar a ser feliz de novo. Menos uma no mundo. Eu teria tomado um banho antes de voltar dormir, mas, como eu disse anteriormente, o banheiro era o reino das baratas e eu estava traumatizada. Acho que não dormi o resto da noite.

Hoje, eu vi uma barata albina e manca. E você? Você aí, que nunca teve medo de barata, já viu uma barata albina e manca? Não, né?

Imagem: GettyImages

26 comentários:

Peterson Quadros disse...

Realmente nunca vi barata albina. Manca eu acredito que sim... Bom, a sua teoria é realmente irrefutável, falo isso por comprovação prática. Eu detesto insetos e por uma ironia do destino sou agricultor... Amigo intimo de rãs, besouros, larvas... A sorte é que onde eu moro baratas não existem!!!

Luciana Vannucchi de Farias disse...

não ligo pra insetos mas tenho nojo de barata. E sinto lhe dizer que, mesmo em apartamento, elas podem aparecer.

Uma das piores situações é você entrar no banheiro praquele xixizinho básico e, após iniciar, descobre uma daquelas bem cascudonas olhando pra sua cara, bem de cima da pia. Pertinho de você, e você já começou e não consegue parar o que está fazendo pra sair de lá gritando. Aff...

Nem sei o que acontecei com a tal barata, se matei depois ou pedi pro Vagner, mas me lembro até hoje da vena ridícula que foi...

Beijocas, querida!!!

Luciano A.Santos disse...

Eu tenho medo e nojo de barata, aranha, rã, sapo e borboleta. E concordo plenamente com sua teoria: se você tem medo dessas coisas elas te perseguem. Diria até que te escolhem num população de cem. Barata albina e manca é aberração demais num monstro só, felizmente nunca me deparei com um desses. Até agora...

Heloisa disse...

Sério, eu to coçando e arrepiada só de ler. Já acordei uma vez com uma barata passeando em cima de mim. Me dá tique-nervoso só de lembrar. =SSSS

Leonardo Xavier disse...

Eu tinha visto esse link a um tempão, eu acho quando estava procurando uma imagem para um post, ele fala justo que baratas albinas não existem e que isso que o pessoal chama de barata albina é elas mudando de carapaça:

http://www.saberebomdemais.com/o-dia-em-que-uma-barata-meu-deu-um-post-no-boing-boing/

O que decerto não deve fazê-la menos nojenta para você, kkk!

Camila disse...

Eu não tenho medo de baratas, mas tenho nojo. Sou corajosa o suficiente para exterminar esse bicho nojento quando o vejo. Mas barata albina eu ainda não vi.

Marina disse...

Leonardo, eu juro que tentei ler o post, mas apareceu a foto e eu fui obrigada a fechar. Vou ter pesadelos hoje, certeza.

Bruno Malveira disse...

Eu já vi uma barata mudando de carapaça. Perto da porta do banheiro. Não tive coragem de matar, ela parecia muito frágil e indefesa. Não seria justo, sabe...

Eu não gosto de insetos, e eles às vezes me assustam, mas quando me enchem o saco, ficam fazendo barulhos chatos e atrapalhando, eu vou atrás de matar na hora, mesmo tendo um certo medo deles pularem em cima de mim.

Leonardo disse...

Bueno, como todo ceticismo esse também é chato, mas penso que a chance de uma pessoa se deparar com baratas é a mesma independente do medo do indivíduo. O que muda é o quão traumática e por consequência inesquecível e significante a experiência vai ser.

Leonardo disse...

Ah, e isso também é uma desvantagem do clima tropical. Os insetos adoram. Aqui no RS, por exemplo, que é mais frio, temos bem menos baratas que aí.

Leila disse...

Ai meu Deus!!! Eu sofri como em tortura por cada acontecimento que você narrou!!! Deu até arrepios. Acho a coisa que eu tenho mais pavor nesta vida é barata! Uma já passou por cima da minha mão; logo que abri o armário a danada saiu correndo e ''me atropelou''. Dei um berro tão alto, parecia que meu corpo ia virar do avesso! Mas confesso que uma barata manca e albina eu nunca vi.
Sinto minto, Marina. beijos

Ivan Picchi disse...

"Dizem que baratas se atraem por coisas belas"

Q

Mói de Fichas disse...

romantismo + baratas = epic win

Marina disse...

Acho que baratas se atraem por coisas doces. Mas, que eu saiba, eu sou até bem azedinha.

Andréia Alves Pires disse...

Ai, Marina, que agonia! Isso vive acontecendo comigo... Já vi barata albina, mas não era manca. Elas curtem subir em mim... lagartixas, idem. Apoio essa tua teoria.. :p
Bjo!

TC Bassani disse...

Nojo!!! Muito nojo. E só.

Medo mesmo só de cobra. Aliás, não é medo. É pânico... ao ponto de desmaiar. Não posso nem ver imagens...

µαri µαtos disse...

Eu n tenho medo dessas coisas, mas tb n acho legal. Acho um saco ir matar, mas é necessário.
Numa dessas ocasiões em q fui matar uma barata, ela voou pra cima de mim e pousou no chão. Eu, que tentei me desviar dela, dei um passo a frente e fui bemmmm em cima dela.
Até hj me arrepio quando lembro a sensação crocante de meu pé descalço pisando naquela coisa nojenta. ¬¬

littlemarininha disse...

Sabe, uma vez eu acordei de madrugada pra ir ao banheiro e tinha uma perereca no cantinho do boxe. Como ela foi parar lá, só Deus sabe. Fui devagarinho pra que ela nem notasse minha presença, mas a maldita pulou na minha perna.
Acho que nunca gritei tanto na vida. Não tenho medo, exatamente, mas poxa, tem que pular na minha perna?
Aposto que ela não pularia num dos meus irmãos.
Que sacanagem ¬¬

Larissa Bohnenberger disse...

AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!

Marinaaaaa, como é que você faz uma coisa dessas comigo! contar essas histórias horríveis aqui. Ainda bem que meu coração é forte.

Também não tenho a menor vontade de morar em casa. Sou uma amante de apartamentos, de preferência no andar mais alto.

Agora, vou te dizer uma coisa... pode colocar uma boa dose de azar nessa equação aí! Porque eu não acredito que haja no mundo alguém que tenha pânico maior de baratas do que eu. Mas é pânico mesmo, eu grito e choro de desespero. Elas obviamente adoram aparecer quando eu estou desprotegida, passam correndo bem pertinho de mim pra tentar me causar um infarto. mas NUNCA nenhuma subiu em cima de mim. DEUSQUEMELIVREEGUARDE! Acho que morro! Acho também que terei pesadelos esta noite.

Bjs!

Jullia A. disse...

concordo. tenho panico de lagartixas. PANICO. ja apoiei minha mae em uma coisa geladinha sem perceber que era uma lagartixa morta.. ja cairam duas no meu cabelo e soltaram o rabo, e acredite, meu cabelo é cacheado. Isso é o que eu chamo de panico.
ela me perseguem. de verdade. ninguem mais ve, e quem ve nao entra em contato.

André Arruda de Bem disse...

Olha, nunca tive medo de laRRRgatixa (bem mais legal assim), mas uma radical já morreu na panela de meu feijão depois de calcular errado a altura de seu bunge-jump.
Não seria essa barata albina algum espectro de finada barata brutalmente assassinada por voce?

Marina disse...

André, eu nunca matei barata. Deus me livre. Só encomendei a morte dela. =PP

Larissa Bohnenberger disse...

Ah, Marina, quase esqueço de te contar a grande novidade: consegui comprar "A Cor da Magia"! E bem baratinho! Sim, porque alguns sebos estavam cobrando uma fortuna completamente inviável. Mas achei um que tava cobrando um valor pagável e comprei! Rsrsrsrsrsrs! Assim que terminar o livro que estou lendo vou pegar ele.

Bjs!

disse...

Eu ri com o "Exigi a morte dela"
Soou como voz de imperatriz
"matem esta barata plebeia"

Au disse...

Sempre que viajo para o Nordeste me deparo com situações parecidas, na casa dos meus avôs também tem um banheiro que é famoso por obrigar muitas baratas (já cheguei encontrar três ao mesmo tempo...), nunca andaram pela minha perna, mas peguei em uma por distração enquanto secava as mãos no banheiro e já tive o desprazer de ver uma barata albina andando tranquilamente pelo quintal da casa da minha outra avó... (Lendo o comentário percebi que preciso de novas hospedagens quando viajar novamente...).

E eu concordo com a sua teoria!
Beijo!

V.H. de A. Barbosa disse...

Uma vez eu me assustei tanto com uma barata que soltei um grito, não era bem um grito, mas um som abafado, um "ah!", que nasceu e morreu em menos de 2 segundos, mas foi suficientemente forte para ela se assustar e dar um pulo! Isso mesmo, a barata se assustou, deu um pulo e ficou de ponta cabeça. Essa não tinha muito instinto de sobrevivência.