terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O maior e melhor


Se você não aguenta sol, calor e multidão, definitivamente o carnaval de Recife e Olinda não é para você. Mas se você, assim como eu, acha que certas coisas valem a pena, deveriam estar aqui no carnaval. Deveriam vir ver pessoalmente, porque não dá para descrever o que acontece. No momento, eu estou a um passo da insolação, na base da água de coco e do caladryl. Mas, como eu disse, há coisas que valem a pena. E para participar não ver; participar  do carnaval daqui, tudo vale a pena.

O nosso problema, dos recifenses, é que, além de muito bairristas, nós sempre queremos ser os maiores ou melhores. É o maior shopping do Brasil (já foi, mas deve ter perdido o posto), a maior avenida em linha reta da América Latina. Até das coisas ruins já vi gente abrir a boca para falar, com certo orgulho. E nós temos o maior bloco de rua do mundo: o Galo da Madrugada.

Essa semana, eu li uma postagem de um amigo que comparava o Galo a um monumento histórico. Com a pequena diferença de que os monumentos são perenes e o Galo, com toda a sua excentricidade recifense, é reconstruído todo ano de uma maneira diferente, apenas para o carnaval. O maior monumento montado e desmontado a cada ano; o maior ponto turístico móvel instantâneo; o maior bloco de rua, com mais gente pulando e gastando a sola do sapato pelo asfalto, com mais bonecos coloridos com cabeça de papel marché, com mais gente fantasiada das maneiras mais criativas, sem precisar pagar nada para brincar. O maior Galo do mundo, que atrai pessoas de todos os lugares a cada carnaval. Para depois sumir e renascer, como uma fênix, todos os anos.

Este ano, eu fui ver o Galo. E é lindo. Não fui para camarote, porque carnaval do Recife e Olinda se pula no chão. Passei mal com o sol, me queimei, desidratei. Mas valeu a pena, porque sempre vale. Depois, fui para Olinda, porque a festa tem que continuar, nas ladeiras, nos outros blocos, com outras cores. Sou mesmo bairrista. Somos bairristas e nenhum lugar, para nós, nunca será melhor que aqui. Tenho um orgulho imenso do meu Recife, do nosso carnaval.

O melhor carnaval do mundo.

Imagem: Bruno Silva

7 comentários:

Rebeca Maynart disse...

Que amor. Dá para sentir seu orgulho em ser pernambucana. Eu sou de Salvador, então entendo bem essa energia do Carnaval e do orgulho rs *-*
Adorei o post e as curiosidades que eu não conhecia sobre querer tudo maior por aí haha :3
Mil beijos!!!

Suzana Melo disse...

Tenho orgulho de ser recifense, embora já não brinque o carnaval eu adoro. Você disse tudo, Recife tem o maior carnaval do Brasil.

Suzana Melo disse...

Eu adoro essa menina

Milena Maciel disse...

Que post sensacional! Assim como você, também adoro carnaval, essa data trás uma magia inexplicável, parece que todos os problemas somem. Tenho vontade de passar o carnaval em Recife, parece ser muito bom!

Bjs
oh, wow, lovely ❁

Rayssa disse...

Me emocionei! Muito lindo ter orgulho da nossa cultura, do nosso carnaval. Queria ter ido, mas esse ano não pude estar em Recife. Embora a distância seja grande, o coração tá sempre aí. E como boa pernambucana, fui pra o galinho, um bloco fundado pelos pernambucanos que moram em Brasília e sentem falta desse grande espetáculo . É claro que não se compara, mas pelo menos frevei muito e relembrei nossas músicas! Beijos

Marina disse...

Eita, que massa, Rah. A gente sempre brinca com o que tem, né não? O importante é não perder a oportunidade.

Grazy Bernardino disse...

Parece um carnaval lindo!! ♥♥