sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Semelhanças

É engraçado como criamos personagens parecidos com a gente sem nem sequer perceber. Ou mesmo sem querer. Ainda agora, estava fazendo um pão e pensando que não cozinhava quase nada quando escrevi a personagem do meu primeiro livro. Para quem não conhece, Isabel trabalha numa padaria.

Comecei a me interessar por cozinha bem recentemente. Sabia fazer uma coisa ou outra, coisas que eu gostava de comer, como uma torta de maçã, sopa e molho de tomate. Mas não passava muito disso. Cozinhar costumava me dar um pouco de enjoo das comidas que eu fazia.

Quando criei Isabel e Fernando, foi para um conto. Um evento só, um encontro. Não tinha intenção de continuar nada. E ela surgiu assim, meio do nada. E, então, surgiu a ideia de escrever um livro. A história foi se construindo e tomou forma.

Então, sem perceber, fui tomando gosto pela cozinha. Hoje, sovando o pão que pretendo assar só amanhã, pensei na personagem. Pensei na possibilidade de ter tomado gosto por cozinhar por causa dela. Por ter me envolvido nas atividades dela, por muitas vezes ir pesquisar algumas receitas no meio da escrita do livro porque me deu fome.

Mas concluí que foi o contrário. A gente termina colocando alguma coisa da gente nos nossos personagens. Não tem muito como fugir da personalidade que a gente coloca nele enquanto o deixa divagar, mesmo quando estamos escrevendo um personagem bastante diferente da gente. É difícil deixá-lo completamente à parte. Mas essa semelhança em particular me deixou feliz.

Esse pão que vou assar amanhã vai ter um gosto bem diferente, depois desse reconhecimento. 😋


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

5 dicas para ler mais

Início de 2019, você se pega planejando os livros que gostaria de ler no ano. Olha aquela pilha de livros "para ler" e promete que vai dar uma reduzida dela. O problema é que é a mesma pilha do ano passado, que você não leu nem a metade e ainda acabou comprando mais. 😅

É quando você percebe que precisa ler mais. Que você gostaria de ler mais. Você já tem o hábito de ler sempre e costuma ler com atenção, mas não está lendo tanto quanto gostaria. Seja por culpa das redes sociais, do excesso de trabalho ou estudo. Mas, mesmo com a vida corrida, é possível encontrar tempo para ler e manter sua leitura em dia.

Abaixo, elaborei algumas dicas para aumentar o ritmo e a frequência da sua leitura


1. Meta de Leitura



Algo que pode atrapalhar o cumprimento da sua meta é a quantidade de livros escolhida. Em vez de olhar a enorme pilha de livros e prometer que vai ler tudo, escolha uma meta real a ser seguida.

Se você está fazendo monografia, ou estudando para concurso, não vai ter tanto tempo disponível. Nessa meta, você não precisa colocar todos os livros que quer ler no ano; então, coloque uma meta de dez ou doze livros. E, se você ler mais que isso, fica no lucro.

Desafios Literários ajudam a definir essa meta, porque garantem variedade a essa meta. Aqui no blog, eu sempre sugiro um ou dois logo no início do ano. Se você está seguindo algum, é interessante definir os livros logo no início do ano, para não ficar perdido.

Essa meta vai ser útil para que você não fique sem ler nada quando terminar um livro, curtindo o sentimento de abandono que o final de um livro traz.

Dica útil: No Skoob e no Goodreads existe a ferramenta Meta de Leitura, onde você pode listar os livros que você pretende ler no ano.


2. Crie metas diárias (ou semanais)
Imagem: Flickr


Não conte os livros lidos. A meta pode ser por páginas ou por palavras, caso você esteja lendo em um dispositivo que permita a contagem, como o Kindle.

A contagem por palavras é mais real, porque não depende do layout da página do livro, tamanho de letra, essas coisas. Então, você acaba sabendo exatamente qual a sua velocidade de leitura lendo um determinado livro, em relação a outros livros.

 

3. Encontre seu tempo livre
Imagem: Flickr


É comum termos mais tempo nos fins de semana. Mas, se você trabalha nos fins de semana, deve descobrir qual o seu tempo livre. Tem mais tempo na segunda-feira ou na quarta? Separe umas horinhas desses dias para ler.

O ideal, nessas horinhas livres, é você marcar em um cronômetro um tempo determinado para ler sem parar e não ser interrompido. Pode ser quatro, oito horas ou até doze horas inteiras. Se você levantar para pegar um copo de água ou lanche, pausa o cronômetro e continua quando voltar.

 

4. Encontre maneiras de ler em qualquer lugar
Imagem: Flickr


Intervalos durante o dia também podem ser utilizados. Costumamos ter vários pequenos momentos de espera, no decorrer do dia. Vai de metrô para o trabalho? Tem uma horinha de intervalo para o almoço? Em vez de ficar rolando o Instagram, aproveite para sacar o livro da bolsa.

 

5. Anote os livros que leu
Imagem: Flickr


Pegue o hábito de sempre anotar os livros que leu. Pode ser no Skoob, no Goodreads ou até mesmo num caderninho ou bullet journal. Anotar os livros lidos é muito útil para você perceber que, mesmo que não reduza tanto a sua pilha quilométrica, você está lendo. No seu ritmo.


--

E então? Curtiu as dicas?
Se você souber de mais algumas, não esqueça de sugerir nos comentários.